Adubação

Adubação

Macro e micro nutrientes e suas funções

Assim como o ser humano, as plantas também são organismos vivos,formados por moléculas, que na sua composição contém açúcares, lipídios, proteínas e ácidos nucléicos (ADN). Esta composição básica de uma molécula é comum a todos os organismos vivos, e é ela que contém as informações genéticas de cada ser.

A diferença está na origem destes elementos. Os seres humanos e os animais precisam comer para consegui-lo. As plantas por sua vez retiram-nos da luz solar, que serve para produzir folhas, frutos e flores. Tudo isso se encontra nas moléculas inorgânicas encontradas no ar e no solo, que são chamados de sais.

Na sua origem os sais se encontram em forma sólida, sendo dissolvidos em água. Por exemplo: O sulfato de magnésio se dissolve resultando em íons de magnésio e íons de sulfato, e ambos são absorvidos pelas raízes. O Enxofre contido neles é essencial para que a formação da planta aconteça naturalmente. Os elementos essenciais para a formação de uma planta são classificados em dois grupos:

a) Macronutrientes: Carbono (C), Oxigênio (O), Hidrogênio(H), Nitrogênio(N), Enxofre (S), Fósforo (P), Potássio (K), Cálcio (Ca) e Magnésio (Mg).

b) Micronutrientes: (Oligoelementos) Ferro (Fe), Manganês (Mn), Boro (B), Zinco (Zn), Cobre (Cu), Molibdênio (Mo) e Cloro (Cl).
Os Macronutrientes são os elementos que a planta necessita em quantidades elevadas, e os Micronutrientes em quantidade muito pequena.

Os primeiros elementos são tomados do ar (CO2 e oxigênio) e da água (H2O). também o Cloro geralmente já está contido na água utilizada para regar a planta (a carência de cloro deixa a coloração das folhas pálida).

Nitrogênio: este elemento serve de base para a formação das proteínas, e é especialmente importante na formação de clorofila (transformação de luz solar em alimento, através da fotossíntese). Grande quantidade do nitrogênio contida nas plantas se encontra nas folhas.
Assim sendo é um elemento necessário para o crescimento e desenvolvimento da massa foliar, bem como da formação de “corpo” na planta.

Fósforo: fundamental para a formação de ADN e na formação de membranas celulares. O Fósforo é um elemento importante na formação de flores e frutos. Em frutíferas e floríferas pode ser usado em quantidade mais elevada, nos períodos de floração.

Enxofre: se absorve em forma de sulfato, e faz parte de alguns aminoácidos e de algumas proteínas da planta. Junto com fósforo, nitrogênio, carbono e água, forma um grupo chamado de elementos estruturais, que intervém na formação do “esqueleto” da planta.

Potássio: é absorvido na forma de íon potássio (K+). Intervém no regulamento da abertura e fechamento dos estomas das folhas. Tem participação no transporte dos nutrientes pelo floema. Deve ser regulado de acordo com a estação do ano. Com a chegada do inverno tende-se a aumentar a dosagem de potássio.

Cálcio: sua função é estrutural, dando rigidez às membranas celulares, bem como regulador de certas reações que ocorrem na planta. Atua como agente protetor frente a elevadas concentrações salinas (contidas em água) e frente a certos elementos tóxicos que podem ser absorvidos pela planta.

Magnésio: fundamental para a formação da clorofila.

MICRONUTRIENTES

Atuam na formação de reações fundamentais ao crescimento, bem como auxiliam a fotossíntese. Alguns se concentram mais nas raízes (zinco) e outros na parte aérea (ferro). Mesmo que em quantidade muito pequena, são fundamentais para o bem desenvolvimento da planta.

NPK:

N (nitrogênio): Torta de mamona
P (fósforo): Farinha de osso/ostra
K(potássio): Cinza de madeira

PERIODICIDADE:

A adubação não deve ocorrer de forma irregular. Quanto mais periodicamente e regularmente a adubação ocorrer, mais resultados serão obtidos. Uma adubação irregular causa esgotamento e desenvolvimento irregular para a planta.

ADUBO E ÁGUA:

A adubação está intrinsecamente ligada a água. Adubo só faz efeito quando dissolvido, e assim as reações procedentes do contato com a água agem de forma livre. Uma adubação com pouca água não terá efeito, ou no máximo, um efeito muito fraco. A periodicidade das regas também é fundamental, pois faz com que a planta crie uma rotina de alimentação. As raízes só absorvem nutrientes e água quando a umidade do substrato do vaso estiver entre 15 e 25 % .

ADUBO E SUBSTRATO:

Não é a quantidade de adubo que mata uma planta, mas sim a falta de aeração no substrato. Se a drenagem estiver muito baixa, a concentração de adubo ativo (solvido) é elevada e assim também a absorção. Isso provoca a superdosagem que queima as células sensíveis na ponta das raízes capilares. Um substrato com boa drenagem e aeração permite que a porcentagem de umidade (e assim também adubo ativo) ideal seja atingida mais de uma vez ao dia.

Como se adubam os Bonsai?

A) POR QUE SE TEM DE ADUBAR.

Todos nós comemos diariamente; os alimentos são imprescindíveis para viver. As plantas alimentam-se dos sais nutritivos que extraem do solo. Os Bonsai, como vivem em vasos pequenos, podem chegar a consumir todos nutrimentos que há na terra. Temos de ir repondo, por meio dos adubos, os elementos que a planta consome.

B) QUANDO SE DEVE ADUBAR?

É preciso adubar principalmente nos momentos de forte crescimento da planta: primavera e fim do Verão. Para evitar crescimentos desmesurados, ao contrário dos outros cultivos, costumamos adubar os Bonsai mais no Outono (final do Verão) do que na Primavera

C) COMO SE DEVE ADUBAR.

Deve-se adubar a planta sem sobressaltos: É muito melhor adubar em pequenas quantidades, mas com frequência do que fazê-lo em excesso de longe em longe. Não se deve esperar, portanto, que a arvore chegue a ficar fraca e amarelenta para voltar a adubar.

D) QUAIS SÃO OS MELHORES ADUBOS.

Há dois tipos diferentes de adubos para Bonsai: os adubos líquidos e os adubos sólidos. Adubo líquido: o adubo líquido dissolvesse na água da rega ou aplica-se com a água da vaporização por cima das folhas. Vantagens do adubo líquido: É rápido e limpo, não produz cheiros desagradáveis e é fácil de aplicar. Precauções no uso do adubo líquido: NÃO ULTRAPASSAR NUNCA AS DOSES INDICADAS. Adubo sólido: o adubo sólido colocasse em cima da terra do vaso de uma maneira uniforme, evitando pô-lo ao lado do tronco das árvores. Vantagens do adubo sólido: É de larga duração, não queima as plantas, melhora muito a terra dos Bonsai.

E) QUANDO NÃO SE DEVE ADUBAR.

Não devemos adubar no Inverno nem durante os períodos de calor extremo do verão. Como acontece conosco, que quando adoecemos vamos ao médico e não pretendemos curar-nos comendo mais, não se deve querer tratar os Bonsai doentes com adubos. Em primeiro lugar é preciso ver qual é a causa da doença e fazer o tratamento adequado. Só quando a planta começar a recompor-se a devemos adubar. Pelo mesmo motivo, também não devemos adubar os Bonsai acabados de transplantar ou que ficaram secos devido a um descuido.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s