Lixo Para a Janta – por Walter Pall

Este eu postei no bom e velho bonsaitalk, quando ele era o forum mais ativo do mundo. Este tópico resultou em muitos acessos e comentários.

Eu não freqüento muito os fóruns de culinária, e não sei de fato o que se passa neles. Seria provável que uma das receitas de pudim se apresentasse assim?: “Eu fui até as latas de lixo de minha cidade recentemente, e elas estavam repletas de coisas que dariam uma boa refeição. Eu convidei meu chefe e sua esposa para um jantar esta noite, e peço a você, para me dar seu melhor conselho para organiza um maravilhoso jantar com o que eu tenho. ” Eu adoraria ler a resposta! Cínico? Bem, isto acontece todos os dias com bonsai. Por alguma razão algumas pessoas pensam que a arte do bonsai consiste em fazer uma obra de arte com lixo! A verdade é esta: a arte do bonsai consiste em aprender como julgar e selecionar o melhor material possível antes de tudo. Algumas vezes ele pode até vir da lata de lixo, mas ainda assim é um bom material que um mestre pode avaliar rapidamente. Se um novato tenta a sorte com lixo, ele invariavelmente irá falhar. Por que as pessoas economizam R$20,00 de comprar um bom material e então passam horas trabalhando seu patético material vindo do lixo? Se alguém tem um trabalho honesto, deveria ser possível para ele receber R$10 à R$50 ou muito mais por hora de trabalho. Quanto tempo alguém trabalha em um bonsai durante um ano? 10 horas? 100 horas? Bem, aqui está uma simples equação: pegue a quantidade de horas que você possivelmente irá trabalhar em uma peça no futuro, multiplique por seu salário/hora. O resultado é uma soma razoável para gastar em material, o qual você irá trabalhar de maneira agradável. Eu gasto a maior parte do tempo, esforço e dinheiro em adquirir o melhor tipo possível de material. O melhor possível é apenas bom suficiente. Então as pessoas me perguntam o que fazer com o que encontram na lata de lixo – e esperam uma resposta polida sobre isso!! Isto vai além da possibilidade de ser politicamente correto, para mim. Alguém tem que dizer isto a eles, e eu digo!”

Walter Pall

Tradução – João Pedro Arzivenko Gesingpela

Anúncios